270_3.jpg

O Projecto

A Rede de Estações de Borboletas Nocturnas é um projecto de conservação e divulgação sobre borboletas nocturnas em Portugal. Consiste no estabelecimento de uma rede de vários locais de amostragem dispersos pelo país onde, de uma forma coordenada, se faz a amostragem destes insectos com recurso a um método estandardizado baseado em armadilhas luminosas.

O projecto tem como principais objectivos:

1) contribuir para um maior conhecimento das espécies de borboletas nocturnas que existem em Portugal, sobre as quais ainda existem imensas lacunas de conhecimento;

2) avaliar as tendências populacionais e avaliar o estado das populações das espécies de borboletas nocturnas mais abundantes em Portugal;

3) agregar entusiastas e divulgar a importância que as borboletas nocturnas têm para os ecossistemas no contexto de alterações climáticas e perda generalizada de biodiversidade, sensibilizando para a sua conservação e dos seus habitats.

Este projecto junta-se a outros já existentes em outros países europeus como o Garden Moth Scheme, no Reino Unido (http://www.gardenmoths.org.uk/), onde conta com um elevado nível de participação e resultados notáveis a nível científico. Projectos como este apoiam-se no elevado potencial deste grupo de insectos como bio-indicadores de qualidade e tendências ambientais, em que actuam como avisadores do que se passa no meio ambiente.

Em Portugal, onde existem mais de 2800 espécies de borboletas conhecidas, as enormes lacunas de conhecimento da distribuição, ecologia e fenologia da maioria das espécies ainda não permitem aferir a sua resposta às alterações no uso do solo, clima e interacção com espécies exóticas, mas são também estas lacunas que proporcionam descobertas constantes, a cada sessão de amostragem.

A Rede de Estações de Borboletas Nocturnas é assim um projecto importante para conhecermos mais sobre as borboletas e o meio em que nos integramos.

Como funciona?

Ao contrário das borboletas diurnas, o estudo das borboletas nocturnas pode ser realizado com recurso a um método passivo de elevado sucesso, e que se apoia na sua atracção com recurso a armadilhas luminosas. Estas armadilhas consistem num meio atractivo (uma lâmpada especial, e um contentor onde as borboletas entram até serem examinadas, identificadas e contadas. Se esta armadilha funcionar no mesmo local em períodos alargados de tempo, é denominada por “estação”. É pela comparação a médio e longo prazo da componente de espécies e número de exemplares que aparecem que conseguimos inferir importantes parâmetros sobre a ecologia e tendências populacionais das borboletas.

270_3.jpg

Como participar?

Qualquer pessoa individual, ou grupo, pode criar a sua própria estação. Basta adquirir, ou construír, uma caixa de amostragem e lâmpada adequada e começar a registar as borboletas que aparecem. Uma estação pode ser criada tanto em ambiente mais urbano, num jardim ou varanda, por exemplo, como num local mais remoto e natural.

Para participar, envie um e-mail para:

redeborboletas@gmail.com