270_3.jpg

Estação da Horta da Badocha - Mértola

A Associação Montícola é uma associação de defesa do ambiente que nasceu em 2018, em Mértola, com a missão de contribuir para a conservação da natureza e desenvolvimento sustentável.

 

Desde o início, o grupo das borboletas tem despertado a nossa atenção e são sempre bem-vindas na nossa Horta da Badocha. Embora certas espécies possam ser prejudiciais na produção de algumas culturas agrícolas, são bem aceites pois percebemos o seu papel no ecossistema, que precisa de todos para se manter equilibrado. Estamos particularmente atentos à ligação entre habitats, a existência de certas espécies de plantas e a presença de borboletas, dados que registamos nas nossas saídas de campo de inventariação de flora e fauna.

3.jpg

Nodaria nodosalis

A nossa horta localiza-se em Além-rio, com vista para a Vila Velha de Mértola, e nela desenvolvemos métodos tradicionais e sustentáveis de agricultura. Localiza-se num lugar privilegiado, reconhecido como um hostspot de biodiversidade, em especial no que respeita à diversidade de artrópodes. Por isso, já motivados pela observação das borboletas diurnas, fomos desafiados para a descoberta das borboletas nocturnas. Quando verificámos que estava ao nosso alcance desenvolver uma actividade neste âmbito, decidimos aderir imediatamente à Rede de Estações de Borboletas Nocturnas, propondo a Estação da Horta da Badocha.

6.jpg

Escolhemos para posto de monitorização uma zona limítrofe da Horta, junto do galinheiro (onde produzimos ovos caseiros e “alimento para a terra”), duma pequena estufa (onde realizamos as sementeiras para abastecer a horta) e, logo ao lado, um olival centenário, separado por um muro de pedra tradicional (zona de abrigo a diversas espécies). Estamos rodeados, por um lado, pelo rio Guadiana e, pelo outro, pelo perímetro florestal de Mértola, logo desfrutamos dum habitat diverso que, com certeza, nos irá proporcionar belas surpresas quanto à diversidade de espécies de borboletas nocturnas que poderemos observar.

5.jpg

As primeiras experiências de monitorização têm sido muito gratificantes e superaram as nossas expectativas, tal a variedade de espécies, a multiplicidade de formas e, sem a exuberância do colorido das borboletas diurnas, a espantosa beleza dos desenhos e combinações de cores e tonalidades, numa paleta tão reduzida. O nosso maior desafio, conscientes da nossa inexperiência, é minimizar a informação perdida nesta fase inicial. Aguardamos ansiosos pela próxima noite de monitorização, convictos que, com a experiência que estamos a adquirir, iremos reconhecer e identificar as borboletas com que já nos cruzámos nas sessões anteriores e, sem dúvida, seremos presenteados com a presença de novas espécies. É uma actividade altamente motivadora, que nos mantém acordados, enfrentando o frio da noite, na expectativa de revermos velhas conhecidas mas, principalmente, descobrir novas visitas.

1.jpg
2_edited_edited.jpg

Cleonymia yvanii

4.jpg